Background_Topo_Artigos_1280x500_004_casal_gay

Mental health of the non-heterosexual population of England

Saúde Mental da População Não Heterossexual da Inglaterra

Autor: Apu Chakraborty , Sally McManus , Terry S. Brugha , Paul Bebbington e Michael King
Data Publicação: Janeiro de 2018
Idioma: Inglês
Título Original: Mental health of the non-heterosexual population of England
Link: https://www.cambridge.org/core/journals/the-british-journal-of-psychiatry/article/mental-health-of-the-nonheterosexual-population-of-england/9EBE3ED4CB8C07BED9EBC1661465D69B
Livre Tradução

Há poucas pesquisas sobre a prevalência de problemas de saúde mental em lésbicas, gays e bissexuais (LGB) no Reino Unido, com a maioria dos trabalhos realizados nos EUA.

Objetivos
Relacionar a prevalência de transtorno mental, auto-agressão e tentativas de suicídio com orientação sexual na Inglaterra e testar se problemas psiquiátricos estavam associados à discriminação por motivo de sexualidade.

Método
O Inquérito de Morbidade Psiquiátrica de Adultos em 2007 (n = 7403) foi representativo da população que vive em residências particulares no Reino Unido. Perguntas padronizadas forneceram informações demográficas. Foram avaliados sintomas neuróticos, transtornos mentais comuns, provável psicose, suicídio, dependência de álcool e drogas e utilização de serviços. Além disso, foram obtidas informações detalhadas sobre aspectos da identidade sexual e discriminação percebida por esses motivos.

Resultados
A identificação auto-referida como não heterossexual (determinada por orientação e parceria sexual, separadamente) foi associada a infelicidade, distúrbios neuróticos em geral, episódios depressivos, transtorno de ansiedade generalizada, transtorno obsessivo-compulsivo, transtorno fóbico, provável psicose, pensamentos e atos suicidas , auto-mutilação e dependência de álcool e drogas. As consultas de clínico geral relacionadas à saúde mental e o uso de serviços de assistência comunitária no ano anterior também foram elevados. No grupo não heterossexual, a discriminação com base na orientação sexual previu certos resultados de distúrbios neuróticos, mesmo após o ajuste para variáveis ​​demográficas potencialmente confusas.

Conclusões
Este estudo corrobora os achados internacionais de que pessoas de orientação não-heterossexual relatam níveis elevados de problemas de saúde mental e uso de serviços, além de apoiar a sugestão de que a discriminação percebida possa atuar como estressor social na gênese de problemas de saúde mental nessa população.